Notícias

Light Design para melhorar a ambientação de Restaurantes

Nesse texto, Flora Barros dá dicas de como usar o Light Design a favor do seu restaurante, tanto para satisfazer os clientes, quanto para melhorar o desempenho dos funcionários. Boa leitura!

 

Seja no restaurante mais caro da cidade ou na lanchonete da esquina, o cliente sempre busca um lugar agradável onde possa se alimentar de forma prazerosa. E não importa se o local só serve sushi ou carne bovina, pois isso vai do paladar de cada pessoa – claro que a qualidade e o tempero da comida é de suma importância, porém a iluminação do local pode ser o ponto-chave para que o cliente pense em voltar no estabelecimento. Isso mesmo: a ambiência do restaurante é tão relevante quanto a comida.

 

Nesse texto, Flora Barros dá dicas de como usar o Light Design a favor do seu restaurante, tanto para satisfazer os clientes, quanto para melhorar o desempenho dos funcionários. Boa leitura!

 

 

 

Não é só fazer a instalação elétrica, colocar o bocal no teto, encaixar a lâmpada e voilà: habemus luz. Não é tão fácil como parece. Existe todo um estudo do ambiente para saber onde cada luz vai ficar. Em um restaurante isso é indispensável, pois ninguém vai querer, em um ambiente todo iluminado, ficar na parte mais escura. A não ser que seja um jantar à luz de velas. Mas esse não é o propósito desse texto. A arquiteta Flora Barros explica o que é necessário.

 

"Se você procura algo mais intimista, como aqueles restaurantes em que cada mesa tem um pendente e é iluminada separadamente, não pode ser uma luz que esquente. Nesse caso deve ser usado o LED. Mas tudo depende da atmosfera. Em um bistrô, por exemplo, onde tem uma atmosfera mais calma, as temperaturas de cor devem ser mais quentes, mais relaxantes. Isso proporciona à pessoa ficar mais tempo no local, fica mais à vontade".

 

A arquiteta também explica que em restaurantes é importante que hajam lâmpadas com grande índice de reprodução de cor (IRC). O IRC é o índice que mede o quanto fielmente a luz emitida pela lâmpada reproduz a cor do objeto que o observador está olhando. Segundo ela, jamais devemos usar lâmpadas com o vidro colorido. No caso de uma lâmpada amarela, devemos usar o "branco-quente" – ou seja, o vidro deve ser transparente, enquanto o filamento dentro da lâmpada pode ser um "branco-amarelo".

 

"O vidro pintado distorce a cor da comida. É aquela coisa: você mistura uma tinta azul com uma vermelho. O resultado vai ser roxo, certo?! Você acha legal comer uma carne roxa? Não dá. A luz deve ser fiel às cores originais do ambiente".

 

Foto do La Clave Bistrô, onde a iluminação é amarelada, tornando o ambiente mais aconchegante.

 

No caso de ambientes mais "rápidos", em que as pessoas simplesmente comem e saem, os conhecidos fast food, Flora diz que "as cores devem nos deixar alerta. Dá pra usar uma temperatura de cor de 4.500 pra cima – de neutro para frio. É um Fast Food, ou seja, as pessoas comem e logo vão embora. Não é um lugar em que a pessoa quer ficar relaxando".

 

E em relação à cozinha do restaurante?

 

"Na cozinha de uma casa você precisa de uma iluminação geral e uma de tarefa. No caso do restaurante, os funcionários não podem ficar acendendo e apagando a luz (de tarefa), pois é usada por muito tempo. Também é necessário alinhar a luminária com o balcão, usando uma luz forte (neutra e com alto índice de reprodução de cor, 97 no mínimo), pois enquanto a pessoa está cortando algo, a sombra desta pessoa não pode ficar sobre a sua tarefa, já que dificultaria seu trabalho".

 

Cozinha com estações de trabalho bem iluminadas, com iluminação sempre acesa e sem pontos de sombra.

 

Flora Barros atenta também para os cuidados que devem ser tomados na cozinha com relação aos acidentes. Ela diz que as luminárias precisam de IP (ìndice de proteção), ficando em 62 ou 63. Elas são protegidas e precisam ser blindadas contra gorduras e explosões, assim como as tomadas.

 

"As luminárias geralmente ficam no teto. Elas não ficam pendentes para o funcionário não bater nelas e assim ficarem balançando, além do perigo de salpicar óleo quente ou até mesmo uma chama atingi-las. A quantidade de luz pode ser calculada de acordo com uma tabela. A cozinha de um restaurante é muito distinta da cozinha de uma casa. Devemos ter todo o cuidado", diz Flora.

 

Gostou dessas dicas e quer implementar no ambiente?

Para conferir os serviços oferecidos pelo escritório Flora Barros Arquitetura, realizar orçamentos ou tirar dúvidas sobre projetos de arquitetura e iluminação, acesse o site www.florabarros.arq.br ou ligue para (81) 99268.7639

 

Flora Barros Arquitetura está localizada em Recife e especializado em Projetos de Light Design (Iluminação) e também: Projetos de Arquitetura e Urbanismo, Projetos de Construção, Processos de Regularização Fundiária e Lei do Puxadinho. Para entrar em contato com o escritório, ligue para o Fone: (81) 99268.7639, e-mail: contato@florabarros.arq.br – Website: www.florabarros.arq.br

 

 

Página Relacionada: www.florabarros.arq.br/light-design.html

Matéria no NoticiadorWeb: Light Design para melhorar a ambientação de Restaurantes

Autor: Blog da Usinagem

Data de Publicação: 13/05/2019

Esta notícia já foi visualizada 599 vezes.

Esta notícia ainda não tem comentários.

Deixe um comentário

Nome  
E-mail  
Telefone  

Desejo receber notificações se alguém mais comentar a noticia.