Notícias

Raquel Dodge pede ao Supremo para desmembrar inquérito que investiga Locação de maquinário irregular pelos irmãos Lúcio Vieira Lima e Geddel

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) para desmembrar o inquérito que investiga o deputado Lúcio Vieira Lima e o irmão dele, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, ambos do MDB-BA.

Os irmãos Lúcio Vieira Lima (à esq.; deputado federal) e Geddel Vieira Lima (à dir.; ex-ministro) — Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom e Valter Campanato/Agência Brasil

 

De acordo com a PGR, Job Ribeiro Brandão e Roberto Suzarte, ex-funcionários de Lúcio Vieira Lima, repassavam parte dos salários à família Vieira Lima. Os recursos eram pagos pela Câmara.

Além disso, afirma Raquel Dodge, Suzarte e outra funcionária, Milene Pena, trabalhavam na casa de Marluce Vieira Lima, mãe dos políticos, e não no gabinete do parlamentar.

Dodge afirma que, em relação à investigação por peculato, a única diligência restante é uma manifestação técnica sobre extratos bancários apresentados por Job Brandão para confirmar a cadência de saques em espécie, valor estimado desses saques e o valor repassado à família Vieira Lima. Nesse contexto, ela pede prazo de 60 dias para a realização da análise.

Contudo, Dodge quer ainda a instauração de novo inquérito – daí a necessidade de desmembramento – por causa de alguns indícios de lavagem de dinheiro que surgiram durante a investigação do suposto peculato.

Segundo a PGR, a Polícia Federal suspeita que a família Vieira Lima pode ter cometido lavagem de dinheiro através de locação de maquinário agrícola em suas doze fazendas, contratando empresas sem aparente estrutura para locar equipamentos, além da suposta compra e venda simulada de gado, conhecido pelos investigadores como “gado de papel”.

Neste último caso, haveria a simulação de crias jovens para posterior simulação de venda do gado adulto, “o que daria ensejo à justificativa lícita de dinheiro de origem delituosa”, apontam os investigadores do caso.

No pedido de desmembramento da investigação, Dodge pretende deixar uma investigação responsável por fazer a perícia final nos extratos bancários, que podem comprovar o peculato, e outra para essas suspeitas de lavagem de dinheiro.


Esta notícia ainda não tem comentários.

Deixe um comentário

Nome  
E-mail  
Telefone  

Desejo receber notificações se alguém mais comentar a noticia.