Notícias

A força da Locação no mundo

Faturamento conjunto do IRN100 confirma o bom momento do setor.

 

IRN100-vid

O ano de 2017 demonstrou ser um período cheio de atividade na indústria global da locação de máquinas. Como sempre, houve importantes aquisições e exemplos de forte crescimento orgânico.

Uma das primeiras coisas a se destacar na lista deste ano, que se refere ao faturamento de 2017 ou ano fiscal 2017/18, é que a apreciação do Euro frente à maioria das moedas tem um efeito de distorção. Os números em dólares dos Estados Unidos, por exemplo, se “reduzem” em 13% interanuais quando são informados em Euros, enquanto o impacto para o Yen japonês é de 10%. Isto significa que as empresas de locação dos EUA e do Japão, algumas delas entre as maiores do mundo, cresceram mais na tabela do que indicam os números de receita em Euros.

Corrigidas as variações cambiais, revela-se o verdadeiro crescimento dos maiores mercados do mundo. Para as 100 maiores, o crescimento homogêneo é de cerca de 8%, o que reflete não apenas o crescimento do mercado, mas, além disso, sua consolidação. Para as empresas dos Estados Unidos, o crescimento é de mais de 10%, enquanto para as empresas europeias o número fica mais perto da faixa entre 4,5% e 5%. O aumento corrigido para as empresas japonesas que figuram no IRN100 é de cerca de 4%.

Estes números estão acima daqueles fornecidos pela European Rental Association (ERA), que anunciou um crescimento de 3,1% na Europa em 2017, e a American Rental Association (ARA), que reportou um aumento de entre 4,5% e 5%. A explicação é que as maiores empresas destes mercados, aquelas que estão incluídas no IRN100, estão crescendo mais rápido do que a indústria, expandindo suas frotas e realizando grandes aquisições.

Tal como no ano passado, as 10 principais companhias mantiveram seu lugar de privilégio, mas a ordem mudou, com a francesa Loxam beneficiada pelas aquisições da Lavendon Group, Hune Rental e Nacanco, realizadas ao longo dos últimos 18 meses. A empresa passou de sétimo para quinto lugar, trocando posições com a Algeco Scotsman.

Cabe mencionar que, dadas as aquisições ocorridas em 2017, algumas empresas importantes já não estão listadas no IRN100, depois de se fundirem com suas novas empresas matrizes, que por sua vez ascenderam no ranking.

Uma empresa notável na parte superior da tabela é a Kanamoto do Japão. A empresa superou suas compatriotas Nishio e Nikken, e se colocou na oitava posição, tornando-se a segunda maior locadora de maquinário do Japão, atrás da Aktio Corp, em quarto lugar geral.

Cinco principais

Ao se avaliar as cinco maiores locadoras do mundo, não foi exatamente surpresa ver a United Rentals ficar na frente de suas mais próximas competidoras. A gigante norte-americana da locação é responsável por 12% das receitas das 100 maiores empresas em 2017, obtendo vendas por cerca de € 5,28 bilhões. A empresa também investiu cerca de € 1,54 bilhão em novos equipamentos para sua frota, liderando também neste quesito a classificação.

Como já mencionado, a força do Euro frente o dólar também fez com que as receitas da United, em termos de Euros, não cresceram tanto. Apesar disso, seu faturamento aumentou significativamente depois de suas importantes aquisições no ano passado.

O segundo lugar também se manteve estável. A inglesa Asthead Group registrou receitas de € 4,07 bilhões em 2017, o que foi correspondente a 9,7% do faturamento das 100 maiores. A empresa também ficou em segundo lugar no que se refere a gastos com frota, com investimentos de mais de € 1 bilhão, muito à frente da terceira colocada, a Loxam, com investimentos de € 400 milhões.

Terceira na lista ficou outra gigante do Reino Unido, a Aggreko. O faturamento com locação da companhia alcançou a marca de € 1,94 bilhão em 2017, o que representou um aumento interanual de 7,7%.

A japonesa Aktio Corp e a francesa Loxam conformaram o restante do top 5, ambas com saudáveis aumentos em suas receitas anuais.

A liga do crescimento

Se olharmos apenas pelo critério do crescimento, o salto mais importante nas receitas verificadas foi dado pela Shanghai Horizon Equipment & Engineering, empresa que experimentou aumento de 59% em relação às receitas obtidas em 2016. O faturamento da empresa foi de € 102 milhões em 2017, em comparação aos € 64 milhões do ano anterior. Também gastou € 93 milhões em renovação de frota para este ano. A chinesa, que opera 57 armazéns e emprega 1,2 mil pessoas, ocupa o posto número 82 na tabela, depois de ter ficado de fora das 100 maiores no ano passado.

Uma vez mais não é difícil mencionar a Loxam, que ficou em segundo lugar com um aumento interanual de suas receitas de 47%.

Novos atores

Há quatro novos participantes no ranking IRN100 este ano. Encabeçando a lista de novas empresas está a Williams Scotsman, na posição 31. A empresa era parte da Algeco Scotsman, mas foi vendida à Eagle Acquisition Corp em agosto do ano passado. A empresa agora anuncia suas próprias contas individuais, promovendo sua entrada como companhia independente no IRN100.

A seguinte é a já mencionada Shanghai Horizon Equipment & Engineering, que se encontra no lugar número 82, depois de seu notável crescimento.

Outra nova empresa no ranking é a Korearental Corp, que com receitas de € 93 milhões em 2017 e operações na Coreia do Sul, China, Vietnã, Arábia Saudita e Índia, ficou na posição 89.

Fechando o IRN100 está a Salti, empresa com sede na França e que registrou receitas de € 72 milhões.

A ponto

Houve dez empresas que chegaram perto de entrar no IRN100 deste ano. Em primeiro lugar, a Nixon Hire com sede no Reino Unido, obteve receitas de € 67 milhões e investiu € 29 milhões em novos equipamentos em 2017.

Nova era

Existe um claro otimismo no mercado global de locação. Embora seja forte na Europa, Estados Unidos e em certas regiões da Ásia, outros mercados estão se recuperando, como a América do Sul. O Oriente Médio tem grande potencial, tal como muitas áreas do mundo, como a China, onde o modelo de locação começa a ganhar mais confiança do mercado.

O mercado continuará se expandindo à medida que mais empresas se fundam para crescer e outras comecem a ambicionar saltos maiores.

Se o crescimento parece estar assegurado nestes mercados em desenvolvimento, na América do Norte a pergunta é se o impressionante desempenho dos últimos cinco anos se manterá e se as melhoras menos impactantes da Europa podem gerar um impulso.

Notas e agradecimentos

A International Rental News agradece a todas as empresas que contribuíram com informações para este relatório. Se você tem algum comentário ou quer ser incluído no ano que vem, contate o editor da IRN, Joe Malone, no telefone +44 (0) 1892 786211 ou no email: joe.malone@khl.com.

O ranking está baseado em receitas de locação de 2017 (ou o exercício mais recente) e inclui vendas de frota usada e abastecimento de consumíveis. A venda de máquinas foi excluída do estudo.

As cifras marcadas com (Est) são estimativas da IRN e, como em anos anteriores, as rotuladas com (1) são tomadas do estudo anual publicado em maio de 2018 pela revista norte-americana RER (Rental Equipment Register).

As receitas foram convertidas a Euros usando o câmbio de 31/12/17.

Página Relacionada: https://www.construcaolatinoamericana.com/a-forca-da-locacao/134814.article

Matéria no NoticiadorWeb: A força da Locação no mundo

Autor: Newsletter do Locador

Data de Publicação: 13/09/2018

Esta notícia já foi visualizada 82 vezes.

Esta notícia ainda não tem comentários.

Deixe um comentário

Nome  
E-mail  
Telefone  

Desejo receber notificações se alguém mais comentar a noticia.