Notícias

Contêineres na construção

Empresários têm encontrado nos módulos de aço uma alternativa para viabilizar obras mais baratas, rápidas e sustentáveis

Danilo Ponce/Divulgação

Só no Palhano Gastro Park, por exemplo, estão instalados 21 contêineres

Usados no transporte marítimo de cargas, os contêineres surgiram como nova alternativa para a construção civil no Brasil nos últimos anos. No mar, a vida útil é de, em média, 15 anos. Mas a estrutura forte, de aço, projetada para resistir às intempéries e carregar objetos pesados, pode durar mais de 90 anos se bem cuidada. De olho na economia e sustentabilidade, empresários de Londrina e região têm apostado nesse novo modelo construtivo para empreender.

Um dos primeiros a comprar a ideia foi o proprietário da Bike in Box, Rafael Sanches Freitas da Silva. A empresa de aluguel de bicicletas foi fundada em Londrina há quase sete anos. Inspirado em negócios que conheceu na Europa, o empresário quis trazer a proposta para o Brasil e começou a colocar os custos no papel. Depois de fazer muitas contas, percebeu que o contêiner tornaria o projeto viável. "Ele é modular e permite transformações com custos menores do que a alvenaria", justifica.

Para ele, o preço, a facilidade de aquisição e a rapidez na execução da obra foram os principais atrativos. Segundo Silva, em apenas 45 dias, o contêiner estava instalado no terreno. O módulo tem 28 metros quadrados, uma pequena área de atendimento, banheiro para uso privativo e espaço para guardar as bicicletas. Ele diz ter contratado uma arquiteta para fazer o projeto e ter o melhor aproveitamento possível do espaço. "O contêiner é vendido ‘cru’, precisa de tratamento para remover corrosões e perfurações, se houver. Tem que pintar, colocar piso, portas, janelas", avisa.

Gina Mardones

Rafael Sanches Freitas da Silva escolheu o contêiner ser a sede de sua empresa de aluguel de bicicletas



Silva diz que a economia ficou clara logo no primeiro aluguel, já que o preço da locação de um terreno é muito mais barato do que o de um imóvel. "O que eu economizei de aluguel pagou o contêiner em aproximadamente 18 meses", calcula. A mobilidade oferecida pelo modelo também foi importante, já que a empresa precisou ser levada para outro terreno após dois anos de funcionamento. O negócio deu tão certo que atraiu a atenção de outros investidores. O espaço, de aproximadamente 500 metros, onde está a Bike in Box, receberá, em breve, uma hamburgueria e um restaurante japonês, ao todo, nove contêineres.


A sustentabilidade norteou todo o projeto do Villa Container, lanchonete inaugurada há pouco mais de um ano em Cambé. O dono do negócio, Marcio Ramos Vaz, diz que decidiu comprar um contêiner pela economia e praticidade. As adequações, segundo ele, foram simples de fazer. Com a ajuda de um bom serralheiro, em três meses, o módulo estava pronto para uso. "Colocamos um piso cerâmico e pintamos as paredes com uma tinta especial", afirma. A manutenção é simples. "Tudo é lavável", aponta. O reaproveitamento de materiais também aparece nas pias, feitas com tambores, e objetos de decoração, como os lustres de botijoes.

Fonte:Folha de Londrina

Página Relacionada: http:// https://www.folhadelondrina.com.br/cadernos-especiais/conteineres-na-construcao-1011786.html

Matéria no NoticiadorWeb: Contêineres na construção

Autor: MKT PortaldoLocador.com

Data de Publicação: 06/08/2018

Esta notícia já foi visualizada 76 vezes.

Esta notícia ainda não tem comentários.

Deixe um comentário

Nome  
E-mail  
Telefone  

Desejo receber notificações se alguém mais comentar a noticia.