Notícias

Locação de equipamentos em Cuiabá gera críticas por "desconhecimento e politiqueira" segundo prefeito

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), evitou confronto e minimizou às críticas ácidas que o presidente do DEM em Mato Grosso, deputado federal, Fábio Garcia, tem feito sobre a locação de equipamentos para o novo Hospital e Pronto-Socorro da Capital.

Prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (MDB), evitou confronto e minimizou às críticas ácidas que o presidente do DEM em Mato Grosso, deputado federal, Fábio Garcia, tem feito sobre a locação de equipamentos para o novo Hospital e Pronto-Socorro da Capital. Em entrevista a diversos veículos de comunicação do Estado, Garcia tem colocado em “xeque” a honestidade do emedebista – por ter optado em não comprar equipamentos.

Pinheiro atribuiu as críticas de Fábio Garcia a falta de conhecimento ao processo licitatório que é complexo, discurso politiqueiro e intempestivo, – e explicou que não haverá locação de equipamentos – e sim terceirização dos serviços do Pronto-Socorro de Cuiabá. As declarações de Emanuel Pinheiro foram dadas na noite de ontem (05), na assinatura de R$ 6 milhões para compra de equipamentos do novo Pronto-Socorro da Capital.

“Não existe material locado, o que existe é terceirização que eu decidi manter. Ela existe há 15 anos, começou no governo França, expandiu no governo do Wilson e manteve no governo do Mauro. São terceirizações que eu vou manter porque eu acho que o atendimento é melhor. Eu vou é cobrar mais. Eu conversei com Fábio Garcia, tenho certeza que ele já amoleceu o coração dele. Tenho certeza que houve aí, uma crítica intempestiva, é complexa mesmo, tanto é que eles não conseguiram fazer”, justificou o prefeito.

Questionado se tem preferência com qual governador irá inaugurar a nova unidade de saúde, Emanuel Pinheiro disse que a população mato-grossense que vai decidir qual governador irá inaugurar o novo Pronto-Socorro – mas ressaltou que por questão de justiça, esta obra não sairia sem o apoio do governador Pedro Taques (PSDB).

“Tem que ser justo, dar a César o que é de César. E ser justo com o governador Pedro Taques, sem ele, esta obra não sairia. Primeiro, a obra foi lançada no governo dele, quando ele assumiu o governo, eu me lembro, que ele reuniu a bancada de oposição à época, e falou que ia lançar, porque o Mauro não estava conseguindo por conta das dificuldades. E ele determinou, e em seis meses e lançou. A história não pode ser injusta com seus verdadeiros personagens, esta obra não seria lançada, não seria feita e não seria entregue se não tivesse o apoio do governador Pedro Taques”, enfatizou o emedebista, sobre o Pronto-Socorro de Cuiabá, que segundo ele, levará o nome do primeiro pediatra de Cuiabá.

Sobre as críticas que já começaram entre os possíveis candidatos ao Governo do Estado – Emanuel Pinheiro diz que um debate mais aquecido, esquentado faz parte – mas defende que não “chute a canela. E diz que são tantos candidatos com experiência, bom currículo”, que podem elevar o nível do debate e apresentar uma agenda positiva de propostas para o Estado.

Ele afirmou que fazer defender um debate de propostas e já se colocou com crítico ferrenho dos que pretendem chutar a canela. “É isso que vou defender. Não adianta nada um ficar denunciando o outro, agredindo outro e se acusando, todos têm muito a mostrar e precisam mostrar proposta de uma agenda positiva para este momento histórico do Estado de Mato Grosso. É isso que a população quer – troca de acusações, xingamento não vão levar a nada. Eu vou ser um crítico ferrenho deste tipo de política que nada soma para o processo, nada engrandece o processo eleitoral, e é um desrespeito a população que quer ouvir ideias, propostas e projetos. ”

Licitação – Pinheiro disse que é complexo, que apenas em equipamentos instrumentais, mobiliários e materiais de informática, são mais de 10 mil itens. “Temos que fazer tudo isso garantindo lisura, transparência e a retidão em todo o processo. É claro que o processo demora, é um processo lento e exige todo cuidado e responsabilidade, acima de tudo, com Cuiabá. Eu o governador Pedro Taques desde começo trabalhamos, sabíamos disso e não titubeamos mesmo depois dos ataques injustos, de puro oportunismo eleitoral, que tentaram desestabilizar o processo, nós sabíamos o rumo e estávamos focados. Hoje está aqui o fechamento deste processo. ”

Ele garantiu que depois deste primeiro lote homologado nessa quinta-feira (05.07), – os demais lotes serão consecutivos – e em janeiro de 2019, recebe oficialmente a obra física e em 8 de abril, no aniversário de 300 anos de Cuiabá, o novo Pronto-Socorro será inaugurado. Ele disse até 25 de julho deste mês, todos os lotes, referentes as entregas mais demoradas de equipamentos, mobiliários e instrumentais serão lançadas.

“Aquelas que vão até 120 dias. Até 30 de agosto homologaremos os demais lotes, que são para pronta entrega. Hoje temos pronto para expedir nota fiscal, já homologado R$ 6 milhões, do processo já lançado. A partir daí vai ser um lote atrás do outro e cabe ao município respeitar o processo, a lisura, a transparência e a moralidade do processo licitatório, mas cobrar os prazos. Temos prazo de sobra, com judicialização ou não. No aniversário de nossa linda Capital, vamos entrar em pleno funcionamento, todo equipado, a maior obra em saúde pública dos últimos 50 anos, não só da Capital, mas de todo Estado de Mato Grosso”, finalizou.

 

Fonte:VG Notícias

Página Relacionada: http:// https://www.vgnoticias.com.br/politica/emanuel-pinheiro-diz-que-criticas-de-fabio-garcia-e-por-desconhecimento-e-politiqueira/48768

Matéria no NoticiadorWeb: Locação de equipamentos em Cuiabá gera críticas por "desconhecimento e politiqueira" segundo prefeito

Autor: MKT PortaldoLocador.com

Data de Publicação: 11/07/2018

Esta notícia já foi visualizada 119 vezes.

Esta notícia ainda não tem comentários.

Deixe um comentário

Nome  
E-mail  
Telefone  

Desejo receber notificações se alguém mais comentar a noticia.